Print Page   |   Sign In   |   Register
Brazil Chapter Financial Inclusion Learning Lab
Group HomeGroup Home Blog Home Group Blogs
Search all posts for:   

 

Top tags: LEAR 

ENCONTRO DE INCLUSÃO FINANCEIRA #01/2017 - PANORAMA E PLANEJAMENTO

Posted By Ana Mathias, Aspen Institute, Friday, December 15, 2017

Principais pontos discutidos - resumo pela ANDE

Frederic de Mariz - UBS

  • Inclusão financeira está atrelada a desenvolvimento.
  • 51% da população adulta na América Latina tem conta bancária, há alguns anos era apenas 30%.
  • 200 milhões de pessoas não tem conta bancária na América Latina
  • Na última década teve um aumento de quase 50% de utilização de pagamentos eletrônicos.
  • Principais perguntas para a criação de produtos de inclusão financeira: qual o cliente, qual o produto e o canal.
  • 3 dimensões da inclusão financeira: acesso, uso e qualidade. Qualidade é o mais difícil.
  • 4 tendências na inclusão financeira em mercados emergentes:

1) consolidação, tem cada vez menos pequenas financeiras, modelo já se esgotou. O que vemos são empresas grandes.

2) tecnologia: ajuda só o back office ou também o front office, atende o cliente?.

3) diversificação: menos crédito, olhar pra savings, seguros.

4) regulação: complexidade da supervisão, deixar acontecer, proteger o cliente, controlar o risco sistêmico.

  • Estamos vivendo uma mudança de paradigma no setor das finanças com inovações digitais como o Blockchain.
  • Inclusão Financeira não é sinônimo de bancarização.

Discussão

  • Quando falamos em inovação, o que este produto traz de diferente do anterior? É a mesma coisa com uma cara nova?
  • O principal problema não é acesso, mas adesão, usar os produtos.
  • Maioria das inovações atrelada a tecnologia, a adesão a tecnologia no Brasil é rápida.
  • Criar produtos para a base da pirâmide demanda fazer junto para desenhar um produto que eles vão realmente usar.

 

Dinâmicas de planejamento

Temáticas e provocações para 2018:

Grupo 1:

  • Como crias novos modelos de inclusão financeira sem ter o foco necessariamente em dar mais crédito?
  • Como incluir os jovens na inclusão financeira através da educação financeira? Em especial os que estão empreendendo.
  • Como incluir micro e pequenas empresas?
  • Como envolver o governo pra desenvolver políticas públicas que favoreçam a inclusão financeira?
  • Como aumentar o uso ou adoção de novos modelos digitais (“gameficação”, fidelização)?
  • Como criar serviços de conveniência (plataforma de trocas de pontuação)?
  • Por que não criar isenções fiscais de imposto de renda para quem está em outras modalidades, como o SIMPLES, utilizar?

Grupo 2

  • Trazer outras pessoas do governo ou outros agentes de meios mais diversificados, academia e escolas.
  • ANDE ser mais forte em advocacy com o apoio do grupo (ter mais corpo como grupo e pleitear coisas que fossem em prol do que viemos discutindo).
  •  Coordenação de encontros, porque tem encontros muito parecidos pra ser mais produtivo.
  • Conteúdo:
  • mapeamento dos serviços financeiros de impacto pra trazer uma visão de cada serviço diferente e de impacto.
  • discussão do que está acontecendo no Brasil hoje. Uma análise desse impacto, o que está por trás dele? Por que teve aderência?

 

Pessoas e organizações – Quem poderíamos convidar?:

Grupo 1

  • Professores com background de micro-finanças inovação e negócios digitais.
  • Empreendedores de fintechs.
  • Policymakers.
  • 1 representando do grupo do força tarefa e do ICE.
  • Coordenar os encontros que tem temáticas parecidas.

 Grupo 2

  • Uma pessoa da secretaria de inovação da cidade de São Paulo.
  • Google for education.
  •  Securitizadoras.
  • Pessoas de organizações de sociedade civil.
  • ONGs internacionais.
  • Academia (Insper, FGV).
  • Centros de pesquisa.

 

15 recomendações Força Tarefa de Finanças Sociais

 

Tags:  LEAR 

PermalinkComments (0)